Rosquinha



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

São muito gostosos, é uma receita turca :)

  • 1 kg de farinha
  • 200 gr de margarina ou manteiga
  • 250 gr de iogurte
  • 50 gr de açúcar
  • 2 ovos
  • 20 gr de fermento em pó
  • 200 ml de óleo
  • queijo para recheio
  • sésamo
  • galbenus ptr uns

Porções: 30

Tempo de preparação: menos de 30 minutos

PREPARAÇÃO DA RECEITA DE POGACA:

Misture os ingredientes para a massa e forme bolinhas com a mão que abrimos.

Coloque o queijo ralado no meio e cole.

Coloque-os em uma bandeja untada e forrada com papel manteiga, unte-os com gema de ovo e polvilhe com sementes de gergelim.

Leve ao forno pré-aquecido a 180 ° C até dourar.

Bom apetite!


Mahlev - Mahlab

Mahlab é uma especiaria obtida das sementes dos frutos da cereja St. Lúcia (Cerasus Mahleb). É uma variedade bastante rara de cereja preta, com alguns frutos pequenos, plantada pela beleza e pelo cheiro inebriante das flores e não tanto pelo fruto.

O nome "quotmahlab" vem do árabe e significa "cheiro doce", embora a etimologia da palavra nos leve à palavra semítica que definia leite, palavra que se tornou em hebraico o substantivo "quothalav" que significa leite e em árabe o verbo " quothalaba "- tomar leite. Como a cereja não dá leite, presume-se que a ligação seria da cor branca das flores, semelhante à do leite.

As sementes do fruto quebram, revelando outra semente menor que apenas 5-7 mm, oval, bege, com forte aroma de amêndoas e cerejas. Por ser muito perfumado, é usado em pequenas quantidades.

A cereja de Santa Lúcia é cultivada na região do Mediterrâneo, no sul da Europa e na Ásia Ocidental. Embora também tenha sido encontrado na Europa Central, porque gosta de climas quentes e secos.

Mahlab é usado há séculos no Oriente Médio e faz parte das tradições na Turquia, Armênia, Grécia, Líbano, Síria, Irã, Iraque, Líbia, Kuwait, Chipre, Egito, pois é usado em pratos tradicionais e representativos em alguns feriados. . Mahlab nunca falta nos preparativos de feriados importantes: Choereg e Simit na Armênia, Tsoureki (pão doce grego tradicional com ovos) ,.

Flounes cipriotas (torta de Páscoa), Pogaca turca ou geleia egípcia. É utilizado no preparo de pães, bolos, pudins e até queijos. Às vezes, polvilhe com frutas frescas, dando-lhes um sabor especial.

Antes de ser usado para fazer pão, era usado na produção de perfumes, sabonetes, para dar sabor ao vermute. Diz-se que também entrou na composição da aspirina.

Em primeiro lugar na produção e exportação de mahlab estão o Irã, seguido pela Turquia (que está entre os poucos produtores de vermute mahleb) e a Síria.

Como curiosidade, o mahlab aparece ao lado de outras especiarias em uma receita de um livro de receitas holandês do século 15 en Wel ende edelike spijse (Good and Noble Food) e em um livro de receitas iraquiano do século 11. & quotKitab tabikh & quot de Ibn Sayyar al-Warraq.

Para manter o seu aroma, mantém-se em forma de sementes, fazendo-se pó na argamassa com pistilo apenas antes da sua utilização.

Aroma, sabor, sabor especial e tudo isto numa pedra de poucos milímetros.


Como a chamei de torta turca, muitos de vocês me perguntaram por que não coloquei queijo ou cerejas nela. Bom o Açma não se enche de nada. É simples, comece e experimente esta receita para se convencer do quão boa ela é. Se você quiser tortas turcas recheadas com queijo eu convido você a ver a receita de POGAÇA DE TURQUIA e se quiser recheá-la com cerejas ou cerejas você tem a receita de bolo com cerejas

Receita de asma turca

Tal como na receita do vídeo expliquei passo a passo todo o processo tecnológico desta receita da Acma, deixo que vejam a receita do vídeo com atenção e convido-vos a experimentá-la.

Receita AÇMA


Katmer poğaça (trompas turcas).

Os pudins turcos são crocantes por fora, parecendo um croissant, e por dentro são macios como um muffin. O recheio pode ser doce e salgado, enchi com queijo de fole porque comi muito e tive que comer. É basicamente uma massa levedada, dividida em folhas sobrepostas e untada com manteiga, espalhada novamente em uma única folha.

  • 500 gr de farinha BL55 (o ideal seria uma farinha com zero, mas você obtém um bom resultado com BL 55 que é uma farinha com dois zeros)
  • 250 ml de leite desnatado
  • 10 gr de açúcar
  • 100 ml de óleo de flor
  • 8 g de fermento de cerveja fresco
  • 1 clara de ovo
  • 10 gr de sal
  • 100 gr de manteiga muito macia
  • 150 gr de cream cheese para o recheio
  • 1 gema, para untada
  1. Prepare todos os ingredientes.
  2. Ative o fermento: misture o fermento, o açúcar, o óleo no leite aquecido a 37 graus. Deixe em local aquecido. Quando borbulhar, adicione sobre a farinha, junto com as claras em neve, e comece a amassar a massa. Quando a massa começar a juntar, acrescente sal e continue a amassar até obter uma massa homogênea e bem elástica.
  3. Unte uma tigela com óleo, coloque a bola de massa coberta com filme plástico e deixe em local aquecido até dobrar de volume.
  4. Divida a massa em 8 partes iguais. Dê-lhes a forma de uma bola. Coloque um papel alumínio por cima e deixe repousar por 15 minutos.
  5. Espalhe cada bola de massa com até 25 cm de diâmetro e 1,5 mm de espessura. Não adicione farinha na bancada. Usei uma placa de silicone, me ajudou muito porque a massa sai facilmente do silicone. Unte toda a superfície com manteiga amolecida, apenas por cima. Conforme você espalha as folhas, coloque-as umas sobre as outras, como uma torre. A última folha não é untada com manteiga.
  6. Segure a torre das folhas de massa com as mãos e vire-a de cabeça para baixo.
  7. Com a ajuda de um rolo comprido, comece a espalhar a torre de massa numa única folha com o maior diâmetro possível: 40-50 cm. Vire a folha e estique bem do centro para a borda. Consegui esticar o lençol até 50 cm, ia esticar um pouco mais, mas não tinha espaço na mesa de trabalho.
  8. Divida a massa em 12 ou 16 partes iguais. Recomendo que você divida em 12, os chifres ficarão um pouco maiores. Eu me enrosquei nas placas e cortei em 16, mas as porções pareciam muito pequenas.
  9. Pegue um triângulo de massa, coloque uma colher de chá cheia de cream cheese na borda, role e forme o chifre.
  10. Coloque os croissants em uma bandeja forrada com papel manteiga, espaçados entre si.
  11. Cubra a bandeja com filme plástico e deixe crescer em local aquecido por 2 horas.
  12. Unte as gemas com gema de ovo misturada com 1 colher de sopa de leite.
  13. Pré-aqueça o forno a 200 graus, atingiu estaticamente a temperatura desejada, leve ao forno por 18-20 minutos.
  14. Quando estiverem prontos, retire-os e deixe esfriar na churrasqueira da cozinha. Podem ser consumidos como aperitivo. Se você ficar para o dia seguinte, aqueça-os no forno por alguns minutos, eles ficarão tão bons quanto no primeiro dia. São deliciosos, crocantes por fora, macios por dentro, com forte sabor amanteigado. O segredo está em quão finas você pode puxar as folhas de massa!