Receitas mais recentes

Comida e bebida nos Jogos Olímpicos de Londres

Comida e bebida nos Jogos Olímpicos de Londres



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Jogos Olímpicos de Londres de A a Zed do Daily Meal

iStockphoto / Thinkstock

Londres

Esteja você procurando cozinhar uma refeição para a medalha de ouro ou planejar uma festa de proporções olímpicas, o The Daily Meal's Guia de comida e bebida para as Olimpíadas de Londres tem tudo que você precisa para entrar no espírito dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

O guia Food & Drink das Olimpíadas de Londres está repleto de coquetéis inspirados nas Olimpíadas, receitas para criar iguarias britânicas e dicas para planejar uma festa perfeita para o maior fã das Olimpíadas.

Para quem está viajando para Londres, leia e assista a vídeos sobre os melhores lugares para comer, de restaurantes com estrelas Michelin a cafés a apenas 100 metros do Estádio Olímpico e opções kosher nos jogos. O Food & Drink das Olimpíadas de Londres é o guia ideal para viajantes de poltrona e fãs de jet set durante os Jogos Olímpicos de 27 de julho a 12 de agosto.

Aqueles que são inspirados a viajar como um atleta olímpico sem o treinamento e o jet-lag podem aprender a comer como um atleta olímpico na estrada. A campeã olímpica de vôlei Misty May-Treanor, a estrela do futebol olímpico Abby Wambach e a atleta de obstáculos olímpicos Isa Phillips compartilham seus segredos de viagem. Além disso, obtenha todas as últimas notícias sobre comida e bebida das Olimpíadas de Londres atualizadas diariamente no guia de comida e bebida das Olimpíadas de Londres do The Daily Meal.

Confira The Daily Meal’s Quadro de alimentos e bebidas das Olimpíadas de Londres e repin suas fotos favoritas de Londres no Pinterest. Enquanto você estiver lá, diga-nos onde você gosta de comer em Londres e como você está comemorando os Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Lauren Mack é editora de viagens do The Daily Meal. Siga ela no twitter @lmack.


Comida de padrão olímpico no leste de Londres

Busque o ouro da culinária em bairros que logo serão inundados com visitantes dos Jogos.

No passado, o East End de Londres não era conhecido por sua excelência culinária, especializando-se em comidas típicas da classe trabalhadora, como enguias gelatinosas, amêijoas e tortas e purê. Hoje, no entanto, esta área está no meio de uma revolução alimentar, abrigando algumas das ofertas mais inovadoras e absolutamente deliciosas da capital britânica. Esta é uma boa notícia para os visitantes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, já que o estádio principal fica nas proximidades, permitindo muitas oportunidades de provar o melhor da culinária moderna e tradicional de East London.

Cafés ao redor do local olímpico
A um passo de dardo do Estádio Olímpico principal está o Counter Café, uma sala de café e restaurante descontraída localizada dentro do edifício Stour Space, que também abriga uma galeria de arte contemporânea. O café tem sofás de couro macio e grandes janelas, onde você pode sentar e olhar as curvas da parede externa do Estádio Olímpico. A ênfase está em produtos orgânicos, seja batido em uma confusão fofa como parte do brunch de todo o dia ou assado em uma torta caseira com crosta de ouro com recheios como cordeiro e berinjela, ou porco, maçã e erva-doce. Durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, o Counter Café será uma opção muito procurada, portanto, as reservas para o café da manhã, almoço e jantar serão necessárias com bastante antecedência.

Para uma boa alternativa de café a menos de um quilômetro ao norte, experimente o Hackney Pearl, um restaurante e bar premiado especializado em pratos britânicos modernos de rotação semanal, como solha com manteiga de alho selvagem e cordeiro Suffolk assado, bem como xícaras fumegantes do café Square Mile, um dos melhores grãos torrados em Londres.

Não apenas mais uma refeição no shopping
A perspectiva de jantar em um grande shopping center não costuma inspirar grandes expectativas, mas o segundo Westfield de Londres, que foi inaugurado recentemente a menos de um quilômetro do Estádio Olímpico, tem uma ou duas exceções surpreendentes. A pizzaria Franco Manca, no bairro de Brixton, costuma ser apelidada de “a melhor pizza de Londres”, e sua filial em Westfield continua a tradição, produzindo pizzas perfeitas em forno de tijolos, crocantes e crocantes. As coberturas são tradicionais e de origem local sempre que possível - como a cremosa mussarela de búfala entregue em uma fazenda em Somerset - e é melhor regada com uma taça de vinho italiano orgânico Ottavio Rube.

Comida de rua mexicana fresca e rápida com vista para o Estádio Olímpico é servida no Westfield's Wahaca e eles também servem deliciosas margaritas de tamarindo. Massas frescas e artesanais podem ser apreciadas no Pasta Remoli.

Jantares finos
Les Trois Garcons em Shoreditch fica um pouco mais longe - uma corrida de táxi de 15 minutos - mas vale bem a pena os quilômetros extras. Com cordas oscilantes de cristais, bichos de pelúcia usando tiaras (incluindo a cabeça de uma girafa emergindo horizontalmente de uma parede), ricas antiguidades em cada canto e bolsas vintage penduradas no teto, este pub vitoriano convertido é tão notável por sua decoração luxuosa quanto por é comida. A excepcional cozinha francesa moderna, incluindo pratos como salmão defumado com chá com gergelim e erva-doce em conserva, seguido por pannacotta de capim-limão celestial com sorvete de estragão, é uma refeição especial longe das multidões olímpicas.

Para uma cozinha moderna mais aventureira influenciada por um mestre da gastronomia molecular, experimente Viajante, um dos restaurantes mais experimentais de Londres - uma curta viagem de metrô da estação mais próxima do Estádio Olímpico de Stratford até Bethnal Green - apresentando combinações incomuns, como coração de pato com fitas de maçã, rabo de porco com pão de milho doce e sorvete de leite com picles e pepino fresco.

Comida tradicional de East London
A menos de um quilômetro e meio a oeste do Estádio Olímpico, o G Kelly's Noted Eel and Pie Shop é um conjunto simples e elegante de paredes de azulejos brancos e funcionários elegantemente uniformizados, onde pratos tradicionais do East End são servidos desde 1939. Tortas de carne moída recém-assadas vêm com chicotadas de purê de batata, tudo regado com um molho de salsa de receita secreta. Almas corajosas podem experimentar as enguias, servidas bem quentes com purê, ou frias, servidas em pedaços de gelatina transparente

gelatina e temperada com vinagre e pimenta. Sue Venning é a última de uma longa linhagem familiar a administrar a loja e está bem acostumada a convencer os não iniciados a provar algo. “Eu pergunto a eles,‘ Você come sushi? ’” Sue disse com uma risada alegre. “E quando eles admitem que sim, eu digo,‘ Bem, então você pode comer enguias frias - qual é a diferença? ’”

Para outro favorito britânico, vá para Poppies of Spitalfields, onde o próprio Pop frita porções douradas de peixe com batatas fritas por mais de 50 anos em seu restaurante vintage estilo lanchonete.

Passeios gastronômicos no East End
Para descobrir as joias escondidas de East London, é sempre melhor perguntar a um local. De acordo com Charli Matthews, sobre passeios gastronômicos a pé, comer, falar, comer, a cena gastronômica no leste de Londres é dinâmica e está sempre mudando. “Não há nenhum outro lugar igual”, disse ela. “Existem tantos tipos diferentes de comida, refletindo todos os diferentes grupos de imigrantes que vieram para a área ao longo dos anos, desde os tecelões huguenotes e holandeses até os judeus, irlandeses e de Bangladesh.” Do caldeirão de Brick Lane no interior leste - uma viagem de metrô de três paradas ou uma corrida de táxi de 10 minutos da estação de transporte de Stratford das Olimpíadas - os passeios seguem para áreas gastronômicas menos conhecidas, como Whitechapel, cobrindo de tudo, desde chás da Caxemira e tortas suecas a curries escaldantes de Bangladesh e as tradicionais comidas britânicas apreciadas nesta parte da cidade.


Comida de padrão olímpico no leste de Londres

Busque o ouro da culinária em bairros que logo serão inundados com visitantes dos Jogos.

No passado, o East End de Londres não era conhecido por sua excelência culinária, especializando-se em comidas típicas da classe trabalhadora, como enguias gelatinosas, amêijoas e tortas e purê. Hoje, no entanto, esta área está no meio de uma revolução alimentar, abrigando algumas das ofertas mais inovadoras e absolutamente deliciosas da capital britânica. Esta é uma boa notícia para os visitantes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, já que o estádio principal fica nas proximidades, permitindo muitas oportunidades de provar o melhor da culinária moderna e tradicional de East London.

Cafés ao redor do local olímpico
A um passo de dardo do Estádio Olímpico principal está o Counter Café, uma sala de café e restaurante descontraída localizada dentro do edifício Stour Space, que também abriga uma galeria de arte contemporânea. O café tem sofás de couro macio e grandes janelas, onde você pode sentar e olhar as curvas da parede externa do Estádio Olímpico. A ênfase está em produtos orgânicos, seja batido em uma mistura fofa como parte do brunch de todo o dia ou assado em uma torta caseira com crosta de ouro com recheios como cordeiro e berinjela, ou porco, maçã e erva-doce. Durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, o Counter Café será uma opção muito procurada, portanto, as reservas para café da manhã, almoço e jantar serão necessárias com bastante antecedência.

Para uma boa alternativa de café a menos de um quilômetro ao norte, experimente o Hackney Pearl, um restaurante e bar premiado especializado em pratos britânicos modernos de rotação semanal, como solha com manteiga de alho selvagem e cordeiro Suffolk assado, bem como xícaras fumegantes do café Square Mile, um dos melhores grãos torrados em Londres.

Não apenas mais uma refeição no shopping
A perspectiva de jantar em um grande shopping center não costuma inspirar grandes expectativas, mas o segundo Westfield de Londres, que foi inaugurado recentemente a menos de um quilômetro do Estádio Olímpico, tem uma ou duas exceções surpreendentes. A pizzaria Franco Manca, no bairro de Brixton, costuma ser apelidada de “a melhor pizza de Londres”, e sua filial em Westfield continua a tradição, produzindo pizzas perfeitas em forno de tijolos, crocantes e crocantes. As coberturas são tradicionais e de origem local sempre que possível - como a cremosa mussarela de búfala entregue em uma fazenda em Somerset - e é melhor regada com uma taça de vinho italiano orgânico Ottavio Rube.

Comida de rua mexicana rápida e fresca com vista para o Estádio Olímpico é servida no Westfield's Wahaca e eles também servem deliciosas margaritas de tamarindo. Massas frescas e artesanais podem ser apreciadas no Pasta Remoli.

Jantares finos
Les Trois Garcons em Shoreditch fica um pouco mais longe - uma viagem de táxi de 15 minutos - mas vale bem a pena os quilômetros extras. Com cordas oscilantes de cristais, bichos de pelúcia usando tiaras (incluindo a cabeça de uma girafa emergindo horizontalmente de uma parede), ricas antiguidades em cada canto e bolsas vintage penduradas no teto, este pub vitoriano convertido é tão notável por sua decoração luxuosa quanto por é comida. A excepcional cozinha francesa moderna, incluindo pratos como salmão defumado com chá com gergelim e erva-doce em conserva, seguido por pannacotta de capim-limão celestial com sorvete de estragão, é uma refeição especial longe das multidões olímpicas.

Para uma cozinha moderna mais aventureira influenciada por um mestre da gastronomia molecular, experimente Viajante, um dos restaurantes mais experimentais de Londres - uma curta viagem de metrô da estação mais próxima do Estádio Olímpico de Stratford até Bethnal Green - apresentando combinações incomuns, como coração de pato com fitas de maçã, rabo de porco com pão de milho doce e sorvete de leite com picles e pepino fresco.

Comida tradicional de East London
A menos de um quilômetro e meio a oeste do Estádio Olímpico, o G Kelly's Noted Eel and Pie Shop é uma loja simples e elegante de paredes de azulejos brancos e funcionários elegantemente uniformizados, onde pratos tradicionais do East End são servidos desde 1939. Tortas de carne moída recém-assadas vêm com chicotadas de purê de batata, tudo regado com um molho de salsa de receita secreta. Almas corajosas podem experimentar as enguias, servidas bem quentes com purê, ou frias, servidas em pedaços de gelatina transparente

gelatina e temperada com vinagre e pimenta. Sue Venning é a última de uma longa linhagem familiar a administrar a loja e está bem acostumada a convencer os não iniciados a provar algo. “Eu pergunto a eles,‘ Você come sushi? ’” Sue disse com uma risada alegre. “E quando eles admitem que sim, eu digo,‘ Bem, então você pode comer enguias frias - qual é a diferença? ’”

Para outro favorito britânico, vá para Poppies of Spitalfields, onde o próprio Pop frita porções douradas de peixe com batatas fritas por mais de 50 anos em seu restaurante vintage estilo lanchonete.

Passeios gastronômicos no East End
Para descobrir as joias escondidas de East London, é sempre melhor perguntar a um local. De acordo com Charli Matthews sobre passeios gastronômicos a pé, comer, falar, comer, a cena gastronômica no leste de Londres é dinâmica e está sempre mudando. “Não há nenhum outro lugar igual”, disse ela. “Existem tantos tipos diferentes de comida, refletindo todos os diferentes grupos de imigrantes que vieram para a área ao longo dos anos, desde os tecelões huguenotes e holandeses até os judeus, irlandeses e de Bangladesh.” Do caldeirão de Brick Lane no interior leste - uma viagem de metrô de três paradas ou uma corrida de táxi de 10 minutos da estação de transporte de Stratford das Olimpíadas - os passeios seguem para áreas gastronômicas menos conhecidas, como Whitechapel, cobrindo de tudo, desde chás da Caxemira e tortas suecas a curries escaldantes de Bangladesh e os alimentos britânicos tradicionais apreciados nesta parte da cidade.


Comida de padrão olímpico no leste de Londres

Busque o ouro culinário em bairros que logo serão inundados com os visitantes dos Jogos.

No passado, o East End de Londres não era conhecido por sua excelência culinária, especializando-se em comidas típicas da classe trabalhadora, como enguias gelatinosas, amêijoas e tortas com purê. Hoje, no entanto, esta área está no meio de uma revolução alimentar, abrigando algumas das ofertas mais inovadoras e absolutamente deliciosas da capital britânica. Esta é uma boa notícia para os visitantes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, já que o estádio principal fica nas proximidades, permitindo muitas oportunidades de provar os melhores pratos modernos e tradicionais de East London.

Cafés ao redor do local olímpico
A um passo de dardo do Estádio Olímpico principal está o Counter Café, uma sala de café e restaurante descontraída localizada dentro do edifício Stour Space, que também abriga uma galeria de arte contemporânea. O café tem sofás de couro macio e grandes janelas, onde você pode sentar e olhar as curvas da parede externa do Estádio Olímpico. A ênfase está em produtos orgânicos, seja batido em uma mistura fofa como parte do brunch de todo o dia ou assado em uma torta caseira com crosta de ouro com recheios como cordeiro e berinjela, ou porco, maçã e erva-doce. Durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, o Counter Café será uma opção muito procurada, portanto, as reservas para café da manhã, almoço e jantar serão necessárias com bastante antecedência.

Para uma boa alternativa de café a menos de um quilômetro ao norte, experimente o Hackney Pearl, um restaurante e bar premiado especializado em pratos britânicos modernos de rotação semanal, como solha com manteiga de alho selvagem e cordeiro Suffolk assado, bem como xícaras fumegantes do café Square Mile, um dos melhores grãos torrados em Londres.

Não apenas mais uma refeição no shopping
A perspectiva de jantar em um grande shopping center não costuma inspirar grandes expectativas, mas o segundo Westfield de Londres, que foi inaugurado recentemente a menos de um quilômetro do Estádio Olímpico, tem uma ou duas exceções surpreendentes. A pizzaria Franco Manca no bairro de Brixton tem sido freqüentemente apelidada de “a melhor pizza de Londres”, e sua filial em Westfield continua a tradição, produzindo pizzas perfeitas em forno de tijolos, crocantes e crocantes. As coberturas são tradicionais e de origem local sempre que possível - como a cremosa mussarela de búfala entregue em uma fazenda em Somerset - e é melhor regada com uma taça de vinho italiano orgânico Ottavio Rube.

Comida de rua mexicana fresca e rápida com vista para o Estádio Olímpico é servida no Westfield's Wahaca e eles também servem deliciosas margaritas de tamarindo. Massas frescas e artesanais podem ser apreciadas no Pasta Remoli.

Jantares finos
Les Trois Garcons em Shoreditch fica um pouco mais longe - uma corrida de táxi de 15 minutos - mas vale bem a pena os quilômetros extras. Com cordas oscilantes de cristais, bichos de pelúcia usando tiaras (incluindo a cabeça de uma girafa emergindo horizontalmente de uma parede), ricas antiguidades em cada canto e bolsas vintage penduradas no teto, este pub vitoriano convertido é tão notável por sua decoração luxuosa quanto por é comida. A excepcional cozinha francesa moderna, incluindo pratos como salmão defumado com chá com gergelim e erva-doce em conserva, seguido de pannacotta de capim-limão com sorvete de estragão, é uma refeição especial longe das multidões olímpicas.

Para uma cozinha moderna mais aventureira influenciada por um mestre da gastronomia molecular, experimente Viajante, um dos restaurantes mais experimentais de Londres - uma curta viagem de metrô da estação mais próxima do Estádio Olímpico de Stratford até Bethnal Green - apresentando combinações incomuns, como coração de pato com fitas de maçã, rabo de porco com pão de milho doce e sorvete de leite com picles e pepino fresco.

Comida tradicional de East London
A menos de um quilômetro e meio a oeste do Estádio Olímpico, o G Kelly's Noted Eel and Pie Shop é uma loja simples e elegante de paredes de azulejos brancos e funcionários elegantemente uniformizados, onde pratos tradicionais do East End são servidos desde 1939. Tortas de carne moída recém-assadas vêm com chicotadas de purê de batata, tudo regado com um molho de salsa de receita secreta. Almas corajosas podem experimentar as enguias, servidas bem quentes com purê, ou frias, servidas em pedaços de gelatina transparente

gelatina e temperada com vinagre e pimenta. Sue Venning é a última de uma longa linhagem familiar a administrar a loja e está bem acostumada a convencer os não iniciados a provar algo. “Eu pergunto a eles,‘ Você come sushi? ’” Sue disse com uma risada alegre. “E quando eles admitem que sim, eu digo,‘ Bem, então você pode comer enguias frias - qual é a diferença? ’”

Para outro favorito britânico, vá para Poppies of Spitalfields, onde o próprio Pop frita porções douradas de peixe com batatas fritas por mais de 50 anos em seu restaurante vintage estilo lanchonete.

Passeios gastronômicos no East End
Para descobrir as joias escondidas de East London, é sempre melhor perguntar a um local. De acordo com Charli Matthews, sobre passeios gastronômicos a pé, comer, falar, comer, a cena gastronômica no leste de Londres é dinâmica e está sempre mudando. “Não há nenhum outro lugar igual”, disse ela. “Existem tantos tipos diferentes de comida, refletindo todos os diferentes grupos de imigrantes que vieram para a área ao longo dos anos, desde os tecelões huguenotes e holandeses até os judeus, irlandeses e de Bangladesh.” Do caldeirão de Brick Lane no interior leste - uma viagem de metrô de três paradas ou uma corrida de táxi de 10 minutos da estação de transporte de Stratford das Olimpíadas - os passeios seguem para áreas gastronômicas menos conhecidas, como Whitechapel, cobrindo de tudo, desde chás da Caxemira e tortas suecas a curries escaldantes de Bangladesh e os alimentos britânicos tradicionais apreciados nesta parte da cidade.


Comida de padrão olímpico no leste de Londres

Busque o ouro culinário em bairros que logo serão inundados com os visitantes dos Jogos.

No passado, o East End de Londres não era conhecido por sua excelência culinária, especializando-se em comidas típicas da classe trabalhadora, como enguias gelatinosas, amêijoas e tortas e purê. Hoje, no entanto, esta área está no meio de uma revolução alimentar, abrigando algumas das ofertas mais inovadoras e absolutamente deliciosas da capital britânica. Esta é uma boa notícia para os visitantes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, já que o estádio principal fica nas proximidades, permitindo muitas oportunidades de provar o melhor da culinária moderna e tradicional de East London.

Cafés ao redor do local olímpico
A um passo de dardo do Estádio Olímpico principal está o Counter Café, uma sala de café e restaurante descontraída localizada dentro do edifício Stour Space, que também abriga uma galeria de arte contemporânea. O café tem sofás de couro macio e grandes janelas, onde você pode sentar e olhar as curvas da parede externa do Estádio Olímpico. A ênfase está em produtos orgânicos, seja batido em uma confusão fofa como parte do brunch de todo o dia ou assado em uma torta caseira com crosta de ouro com recheios como cordeiro e berinjela, ou porco, maçã e erva-doce. Durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, o Counter Café será uma opção muito procurada, portanto, as reservas para café da manhã, almoço e jantar serão necessárias com bastante antecedência.

Para uma boa alternativa de café a menos de um quilômetro ao norte, experimente o Hackney Pearl, um restaurante e bar premiado especializado em pratos britânicos modernos de rotação semanal, como solha com manteiga de alho selvagem e cordeiro Suffolk assado, bem como xícaras fumegantes do café Square Mile, um dos melhores grãos torrados em Londres.

Não apenas mais uma refeição no shopping
A perspectiva de jantar em um grande shopping center não costuma inspirar grandes expectativas, mas o segundo Westfield de Londres, que foi inaugurado recentemente a menos de um quilômetro do Estádio Olímpico, tem uma ou duas exceções surpreendentes. A pizzaria Franco Manca, no bairro de Brixton, costuma ser apelidada de “a melhor pizza de Londres”, e sua filial em Westfield continua a tradição, produzindo pizzas perfeitas em forno de tijolos, crocantes e crocantes. As coberturas são tradicionais e de origem local sempre que possível - como a cremosa mussarela de búfala entregue em uma fazenda em Somerset - e é melhor regada com uma taça de vinho italiano orgânico Ottavio Rube.

Comida de rua mexicana fresca e rápida com vista para o Estádio Olímpico é servida no Westfield's Wahaca e eles também servem deliciosas margaritas de tamarindo. Massas frescas e artesanais podem ser apreciadas no Pasta Remoli.

Jantares finos
Les Trois Garcons em Shoreditch fica um pouco mais longe - uma viagem de táxi de 15 minutos - mas vale bem a pena os quilômetros extras. Com cordas oscilantes de cristais, bichos de pelúcia usando tiaras (incluindo a cabeça de uma girafa emergindo horizontalmente de uma parede), ricas antiguidades em cada canto e bolsas vintage penduradas no teto, este pub vitoriano convertido é tão notável por sua decoração luxuosa quanto por é comida. A excepcional cozinha francesa moderna, incluindo pratos como salmão defumado com chá com gergelim e erva-doce em conserva, seguido por pannacotta de capim-limão celestial com sorvete de estragão, é uma refeição especial longe das multidões olímpicas.

Para uma cozinha moderna mais aventureira influenciada por um mestre da gastronomia molecular, experimente Viajante, um dos restaurantes mais experimentais de Londres - uma curta viagem de metrô da estação mais próxima do Estádio Olímpico de Stratford até Bethnal Green - apresentando combinações incomuns, como coração de pato com fitas de maçã, rabo de porco com pão de milho doce e sorvete de leite com picles e pepino fresco.

Comida tradicional de East London
A menos de um quilômetro e meio a oeste do Estádio Olímpico, o G Kelly's Noted Eel and Pie Shop é uma loja simples e elegante de paredes de azulejos brancos e funcionários elegantemente uniformizados, onde pratos tradicionais do East End são servidos desde 1939. Tortas de carne moída recém-assadas vêm com chicotadas de purê de batata, tudo regado com um molho de salsa de receita secreta. Almas corajosas podem experimentar as enguias, servidas bem quentes com purê, ou frias, servidas em pedaços de gelatina transparente

gelatina e temperada com vinagre e pimenta. Sue Venning é a última de uma longa linhagem familiar a administrar a loja e está bem acostumada a convencer os não iniciados a provar algo. “Eu pergunto a eles,‘ Você come sushi? ’” Sue disse com uma risada alegre. “E quando eles admitem que sim, eu digo,‘ Bem, então você pode comer enguias frias - qual é a diferença? ’”

Para outro favorito britânico, vá para Poppies of Spitalfields, onde o próprio Pop frita porções douradas de peixe com batatas fritas por mais de 50 anos em seu restaurante vintage estilo lanchonete.

Passeios gastronômicos no East End
Para descobrir as joias escondidas de East London, é sempre melhor perguntar a um local. De acordo com Charli Matthews, sobre passeios gastronômicos a pé, comer, falar, comer, a cena gastronômica no leste de Londres é dinâmica e está sempre mudando. “Não há nenhum outro lugar igual”, disse ela. “Existem tantos tipos diferentes de comida, refletindo todos os diferentes grupos de imigrantes que vieram para a área ao longo dos anos, desde os tecelões huguenotes e holandeses até os judeus, irlandeses e de Bangladesh.” Do caldeirão de Brick Lane no interior leste - uma viagem de metrô de três paradas ou uma corrida de táxi de 10 minutos da estação de transporte de Stratford das Olimpíadas - os passeios seguem para áreas gastronômicas menos conhecidas, como Whitechapel, cobrindo de tudo, desde chás da Caxemira e tortas suecas a curries escaldantes de Bangladesh e as tradicionais comidas britânicas apreciadas nesta parte da cidade.


Comida de padrão olímpico no leste de Londres

Busque o ouro culinário em bairros que logo serão inundados com os visitantes dos Jogos.

No passado, o East End de Londres não era conhecido por sua excelência culinária, especializando-se em comidas típicas da classe trabalhadora, como enguias gelatinosas, amêijoas e tortas com purê. Hoje, no entanto, esta área está no meio de uma revolução alimentar, abrigando algumas das ofertas mais inovadoras e absolutamente deliciosas da capital britânica. Esta é uma boa notícia para os visitantes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, já que o estádio principal fica nas proximidades, permitindo muitas oportunidades de provar os melhores pratos modernos e tradicionais de East London.

Cafés ao redor do local olímpico
A um lance de dardo do Estádio Olímpico principal está o Counter Café, uma sala de café e restaurante descontraída localizada dentro do edifício Stour Space, que também abriga uma galeria de arte contemporânea. O café tem sofás de couro macio e grandes janelas, onde você pode sentar e olhar as curvas da parede externa do Estádio Olímpico. A ênfase está em produtos orgânicos, seja batido em uma mistura fofa como parte do brunch de todo o dia ou assado em uma torta caseira com crosta de ouro com recheios como cordeiro e berinjela, ou porco, maçã e erva-doce. Durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, o Counter Café será uma opção muito procurada, portanto, as reservas para o café da manhã, almoço e jantar serão necessárias com bastante antecedência.

Para uma boa alternativa de café a menos de um quilômetro ao norte, experimente o Hackney Pearl, um restaurante e bar premiado especializado em pratos britânicos modernos de rotação semanal, como solha com manteiga de alho selvagem e cordeiro Suffolk assado, bem como xícaras fumegantes do café Square Mile, um dos melhores grãos torrados em Londres.

Não apenas mais uma refeição no shopping
A perspectiva de jantar em um grande shopping center não costuma inspirar grandes expectativas, mas o segundo Westfield de Londres, que foi inaugurado recentemente a menos de um quilômetro do Estádio Olímpico, tem uma ou duas exceções surpreendentes. A pizzaria Franco Manca no bairro de Brixton tem sido freqüentemente apelidada de “a melhor pizza de Londres”, e sua filial em Westfield continua a tradição, produzindo pizzas perfeitas em forno de tijolos, crocantes e crocantes. As coberturas são tradicionais e de origem local sempre que possível - como a cremosa mussarela de búfala entregue em uma fazenda em Somerset - e é melhor regada com uma taça de vinho italiano orgânico Ottavio Rube.

Comida de rua mexicana rápida e fresca com vista para o Estádio Olímpico é servida no Westfield's Wahaca e eles também servem deliciosas margaritas de tamarindo. Massas frescas e artesanais podem ser apreciadas no Pasta Remoli.

Jantares finos
Les Trois Garcons em Shoreditch fica um pouco mais longe - uma viagem de táxi de 15 minutos - mas vale bem a pena os quilômetros extras. Com cordas oscilantes de cristais, bichos de pelúcia usando tiaras (incluindo a cabeça de uma girafa emergindo horizontalmente de uma parede), ricas antiguidades em cada canto e bolsas vintage penduradas no teto, este pub vitoriano convertido é tão notável por sua decoração luxuosa quanto por é comida. A excepcional cozinha francesa moderna, incluindo pratos como salmão defumado com chá com gergelim e erva-doce em conserva, seguido de pannacotta de capim-limão com sorvete de estragão, é uma refeição especial longe das multidões olímpicas.

Para uma cozinha moderna mais aventureira influenciada por um mestre da gastronomia molecular, experimente Viajante, um dos restaurantes mais experimentais de Londres - uma curta viagem de metrô da estação mais próxima do Estádio Olímpico de Stratford até Bethnal Green - apresentando combinações incomuns, como coração de pato com fitas de maçã, rabo de porco com pão de milho doce e sorvete de leite com picles e pepino fresco.

Comida tradicional de East London
A menos de um quilômetro e meio a oeste do Estádio Olímpico, o G Kelly's Noted Eel and Pie Shop é um conjunto simples e elegante de paredes de azulejos brancos e funcionários elegantemente uniformizados, onde pratos tradicionais do East End são servidos desde 1939. Tortas de carne moída recém-assadas vêm com chicotadas de purê de batata, tudo regado com um molho de salsa de receita secreta. Almas corajosas podem experimentar as enguias, servidas bem quentes com purê, ou frias, servidas em pedaços de gelatina transparente

gelatina e temperada com vinagre e pimenta. Sue Venning é a última de uma longa linhagem familiar a administrar a loja e está bem acostumada a convencer os não iniciados a provar algo. “Eu pergunto a eles,‘ Você come sushi? ’” Sue disse com uma risada alegre. “E quando eles admitem que sim, eu digo,‘ Bem, então você pode comer enguias frias - qual é a diferença? ’”

Para outro favorito britânico, vá para Poppies of Spitalfields, onde o próprio Pop frita porções douradas de peixe com batatas fritas por mais de 50 anos em seu restaurante vintage estilo lanchonete.

Passeios gastronômicos no East End
Para descobrir as joias escondidas de East London, é sempre melhor perguntar a um local. De acordo com Charli Matthews sobre passeios gastronômicos a pé, comer, falar, comer, a cena gastronômica no leste de Londres é dinâmica e está sempre mudando. “Não há nenhum outro lugar igual”, disse ela. “Existem tantos tipos diferentes de comida, refletindo todos os diferentes grupos de imigrantes que vieram para a área ao longo dos anos, desde os tecelões huguenotes e holandeses até os judeus, irlandeses e de Bangladesh.” Do caldeirão de Brick Lane no interior do leste - uma viagem de metrô de três paradas ou uma corrida de táxi de 10 minutos da estação de Stratford do centro de transporte das Olimpíadas - os passeios seguem para áreas gastronômicas menos conhecidas, como Whitechapel, cobrindo tudo, desde chás da Caxemira e tortas suecas a curries escaldantes de Bangladesh e os alimentos britânicos tradicionais apreciados nesta parte da cidade.


Comida de padrão olímpico no leste de Londres

Busque o ouro da culinária em bairros que logo serão inundados com visitantes dos Jogos.

No passado, o East End de Londres não era conhecido por sua excelência culinária, especializando-se em comidas típicas da classe trabalhadora, como enguias gelatinosas, amêijoas e tortas e purê. Hoje, no entanto, esta área está no meio de uma revolução alimentar, abrigando algumas das ofertas mais inovadoras e absolutamente deliciosas da capital britânica. Esta é uma boa notícia para os visitantes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, já que o estádio principal fica nas proximidades, permitindo muitas oportunidades de provar os melhores pratos modernos e tradicionais de East London.

Cafés ao redor do local olímpico
A um lance de dardo do Estádio Olímpico principal está o Counter Café, uma sala de café e restaurante descontraída localizada dentro do edifício Stour Space, que também abriga uma galeria de arte contemporânea. The cafe has soft leather couches and large windows, where you can sit and look out at the curves of the outer Olympic Stadium wall. The emphasis is on organic produce, whether it is whisked into a fluffy scramble as part of the all-day brunch or baked into a golden-crusted homemade pie with fillings like lamb and aubergine, or pork, apple and fennel. During the Olympic and Paralympic Games, the Counter Café will be a very popular option, so reservations for breakfast, lunch and dinner will be necessary well ahead of time.

For a good café alternative less than a mile to the north, try the Hackney Pearl , an award-winning restaurant and bar that specialises in weekly-rotating modern British dishes such as plaice with wild garlic butter and roasted Suffolk lamb as well as steaming cups of Square Mile coffee, some of the best beans roasted in London.

Not just another mall meal
The prospect of dining in a large shopping mall does not often inspire great expectations, but London’s second Westfield, which opened recently less than a mile from the Olympic Stadium, has one or two surprising exceptions. The Franco Manca pizza restaurant in the Brixton neighbourhood has often been dubbed “the best pizza in London”, and its Westfield branch continues the tradition, producing perfect, brick-oven, crisp-yet-chewy sourdough pizzas. Toppings are traditional and locally sourced where possible — such as the creamy buffalo mozzarella delivered from a farm in Somerset — and are best washed down with a glass of organic Ottavio Rube Italian wine.

Fresh, fast Mexican street food with a view of the Olympic Stadium is served at Westfield’s Wahaca and they serve delectable tamarind margaritas as well. Fresh, handmade pasta can be enjoyed at Pasta Remoli.

Fine dining
Les Trois Garcons in Shoreditch is a little farther afield — a 15-minute taxi ride — but it is well worth the extra miles. With swaying strings of crystals, stuffed animals wearing tiaras (including a giraffe’s head emerging horizontally from a wall), rich antiques in every corner and vintage handbags hanging from the ceiling, this converted Victorian pub is as notable for its lavish décor as it is for its food. The exceptional modern French cuisine, including dishes such as tea-smoked salmon with sesame and pickled fennel, followed by heavenly lemongrass pannacotta with tarragon ice cream, makes for a special meal away from the Olympic crowds.

For more adventurous modern cuisine influenced by a master of molecular gastronomy, try Viajante, one of London’s most experimental restaurants — a short Tube trip from the nearest Olympic Stadium station of Stratford to Bethnal Green — featuring unusual combinations such as duck heart with apple ribbons, pig’s tail with sweet cornbread, and milk sorbet with pickle and fresh cucumber.

Traditional East London fare
Less than a mile west of the Olympic Stadium, G Kelly’s Noted Eel and Pie Shop is a simple, sleek outfit of white-tiled walls and smartly uniformed staff, where traditional East End dishes have been served since 1939. Freshly baked minced beef pies come with lashings of mashed potato, all drizzled with a secret-recipe parsley sauce. Braver-hearted souls can try the eels, either served piping hot with mash, or cold, set in gobs of clear aspic

jelly and dressed with vinegar and pepper. Sue Venning is the latest in a long family line to run the shop and is well accustomed to convincing the uninitiated to sample a bite. “I ask them, ‘Do you eat sushi?’” Sue said with a bright laugh. “And when they admit that they do, I say, ‘Well then you can eat cold eels – what’s the difference?’”

For another British favourite, head to Poppies of Spitalfields, where Pop himself has been frying golden portions of fish and chips for more than 50 years in his vintage, diner-style restaurant.

East End food tours
To discover East London’s hidden gems, it is always best to ask a local. According to Charli Matthews of culinary walking tours Walk Eat Talk Eat, the food scene in East London is dynamic and always changing. “There’s nowhere else quite like it,” she said. “There are so many different types of food, reflecting all of the different immigrant groups that have come to the area throughout the years, from the Huguenots and Dutch weavers to the Jewish, Irish and Bangladeshi.” From the melting pot of Brick Lane in the inner east — a three-stop Tube trip or a 10-minute taxi ride from Olympics transport hub Stratford station — the tours head to lesser-known foodie areas such as Whitechapel, covering everything from Kashmiri teas and Swedish pies to scorchingly hot Bangladeshi curries and the traditional British foods treasured in this part of the city.


Olympic-standard food in East London

Go for the culinary gold in neighbourhoods soon to be swamped with visitors to the Games.

In times past, London’s East End was not known for its culinary excellence, specialising in typical working-class foods such as jellied eels, cockles, and pie and mash. Today, however, this area is in the midst of a food revolution, home to some of the most innovative and downright delicious offerings in the British capital. This is good news for visitors to the Olympic and Paralympic Games, as the main stadium is within close proximity, allowing plenty of opportunities to sample East London’s best modern and traditional fare.

Cafés around the Olympic site
A javelin’s throw from the main Olympic Stadium is the Counter Café, a laid-back coffee den and restaurant located within the Stour Space building, which also houses a contemporary art gallery. The cafe has soft leather couches and large windows, where you can sit and look out at the curves of the outer Olympic Stadium wall. The emphasis is on organic produce, whether it is whisked into a fluffy scramble as part of the all-day brunch or baked into a golden-crusted homemade pie with fillings like lamb and aubergine, or pork, apple and fennel. During the Olympic and Paralympic Games, the Counter Café will be a very popular option, so reservations for breakfast, lunch and dinner will be necessary well ahead of time.

For a good café alternative less than a mile to the north, try the Hackney Pearl , an award-winning restaurant and bar that specialises in weekly-rotating modern British dishes such as plaice with wild garlic butter and roasted Suffolk lamb as well as steaming cups of Square Mile coffee, some of the best beans roasted in London.

Not just another mall meal
The prospect of dining in a large shopping mall does not often inspire great expectations, but London’s second Westfield, which opened recently less than a mile from the Olympic Stadium, has one or two surprising exceptions. The Franco Manca pizza restaurant in the Brixton neighbourhood has often been dubbed “the best pizza in London”, and its Westfield branch continues the tradition, producing perfect, brick-oven, crisp-yet-chewy sourdough pizzas. Toppings are traditional and locally sourced where possible — such as the creamy buffalo mozzarella delivered from a farm in Somerset — and are best washed down with a glass of organic Ottavio Rube Italian wine.

Fresh, fast Mexican street food with a view of the Olympic Stadium is served at Westfield’s Wahaca and they serve delectable tamarind margaritas as well. Fresh, handmade pasta can be enjoyed at Pasta Remoli.

Fine dining
Les Trois Garcons in Shoreditch is a little farther afield — a 15-minute taxi ride — but it is well worth the extra miles. With swaying strings of crystals, stuffed animals wearing tiaras (including a giraffe’s head emerging horizontally from a wall), rich antiques in every corner and vintage handbags hanging from the ceiling, this converted Victorian pub is as notable for its lavish décor as it is for its food. The exceptional modern French cuisine, including dishes such as tea-smoked salmon with sesame and pickled fennel, followed by heavenly lemongrass pannacotta with tarragon ice cream, makes for a special meal away from the Olympic crowds.

For more adventurous modern cuisine influenced by a master of molecular gastronomy, try Viajante, one of London’s most experimental restaurants — a short Tube trip from the nearest Olympic Stadium station of Stratford to Bethnal Green — featuring unusual combinations such as duck heart with apple ribbons, pig’s tail with sweet cornbread, and milk sorbet with pickle and fresh cucumber.

Traditional East London fare
Less than a mile west of the Olympic Stadium, G Kelly’s Noted Eel and Pie Shop is a simple, sleek outfit of white-tiled walls and smartly uniformed staff, where traditional East End dishes have been served since 1939. Freshly baked minced beef pies come with lashings of mashed potato, all drizzled with a secret-recipe parsley sauce. Braver-hearted souls can try the eels, either served piping hot with mash, or cold, set in gobs of clear aspic

jelly and dressed with vinegar and pepper. Sue Venning is the latest in a long family line to run the shop and is well accustomed to convincing the uninitiated to sample a bite. “I ask them, ‘Do you eat sushi?’” Sue said with a bright laugh. “And when they admit that they do, I say, ‘Well then you can eat cold eels – what’s the difference?’”

For another British favourite, head to Poppies of Spitalfields, where Pop himself has been frying golden portions of fish and chips for more than 50 years in his vintage, diner-style restaurant.

East End food tours
To discover East London’s hidden gems, it is always best to ask a local. According to Charli Matthews of culinary walking tours Walk Eat Talk Eat, the food scene in East London is dynamic and always changing. “There’s nowhere else quite like it,” she said. “There are so many different types of food, reflecting all of the different immigrant groups that have come to the area throughout the years, from the Huguenots and Dutch weavers to the Jewish, Irish and Bangladeshi.” From the melting pot of Brick Lane in the inner east — a three-stop Tube trip or a 10-minute taxi ride from Olympics transport hub Stratford station — the tours head to lesser-known foodie areas such as Whitechapel, covering everything from Kashmiri teas and Swedish pies to scorchingly hot Bangladeshi curries and the traditional British foods treasured in this part of the city.


Olympic-standard food in East London

Go for the culinary gold in neighbourhoods soon to be swamped with visitors to the Games.

In times past, London’s East End was not known for its culinary excellence, specialising in typical working-class foods such as jellied eels, cockles, and pie and mash. Today, however, this area is in the midst of a food revolution, home to some of the most innovative and downright delicious offerings in the British capital. This is good news for visitors to the Olympic and Paralympic Games, as the main stadium is within close proximity, allowing plenty of opportunities to sample East London’s best modern and traditional fare.

Cafés around the Olympic site
A javelin’s throw from the main Olympic Stadium is the Counter Café, a laid-back coffee den and restaurant located within the Stour Space building, which also houses a contemporary art gallery. The cafe has soft leather couches and large windows, where you can sit and look out at the curves of the outer Olympic Stadium wall. The emphasis is on organic produce, whether it is whisked into a fluffy scramble as part of the all-day brunch or baked into a golden-crusted homemade pie with fillings like lamb and aubergine, or pork, apple and fennel. During the Olympic and Paralympic Games, the Counter Café will be a very popular option, so reservations for breakfast, lunch and dinner will be necessary well ahead of time.

For a good café alternative less than a mile to the north, try the Hackney Pearl , an award-winning restaurant and bar that specialises in weekly-rotating modern British dishes such as plaice with wild garlic butter and roasted Suffolk lamb as well as steaming cups of Square Mile coffee, some of the best beans roasted in London.

Not just another mall meal
The prospect of dining in a large shopping mall does not often inspire great expectations, but London’s second Westfield, which opened recently less than a mile from the Olympic Stadium, has one or two surprising exceptions. The Franco Manca pizza restaurant in the Brixton neighbourhood has often been dubbed “the best pizza in London”, and its Westfield branch continues the tradition, producing perfect, brick-oven, crisp-yet-chewy sourdough pizzas. Toppings are traditional and locally sourced where possible — such as the creamy buffalo mozzarella delivered from a farm in Somerset — and are best washed down with a glass of organic Ottavio Rube Italian wine.

Fresh, fast Mexican street food with a view of the Olympic Stadium is served at Westfield’s Wahaca and they serve delectable tamarind margaritas as well. Fresh, handmade pasta can be enjoyed at Pasta Remoli.

Fine dining
Les Trois Garcons in Shoreditch is a little farther afield — a 15-minute taxi ride — but it is well worth the extra miles. With swaying strings of crystals, stuffed animals wearing tiaras (including a giraffe’s head emerging horizontally from a wall), rich antiques in every corner and vintage handbags hanging from the ceiling, this converted Victorian pub is as notable for its lavish décor as it is for its food. The exceptional modern French cuisine, including dishes such as tea-smoked salmon with sesame and pickled fennel, followed by heavenly lemongrass pannacotta with tarragon ice cream, makes for a special meal away from the Olympic crowds.

For more adventurous modern cuisine influenced by a master of molecular gastronomy, try Viajante, one of London’s most experimental restaurants — a short Tube trip from the nearest Olympic Stadium station of Stratford to Bethnal Green — featuring unusual combinations such as duck heart with apple ribbons, pig’s tail with sweet cornbread, and milk sorbet with pickle and fresh cucumber.

Traditional East London fare
Less than a mile west of the Olympic Stadium, G Kelly’s Noted Eel and Pie Shop is a simple, sleek outfit of white-tiled walls and smartly uniformed staff, where traditional East End dishes have been served since 1939. Freshly baked minced beef pies come with lashings of mashed potato, all drizzled with a secret-recipe parsley sauce. Braver-hearted souls can try the eels, either served piping hot with mash, or cold, set in gobs of clear aspic

jelly and dressed with vinegar and pepper. Sue Venning is the latest in a long family line to run the shop and is well accustomed to convincing the uninitiated to sample a bite. “I ask them, ‘Do you eat sushi?’” Sue said with a bright laugh. “And when they admit that they do, I say, ‘Well then you can eat cold eels – what’s the difference?’”

For another British favourite, head to Poppies of Spitalfields, where Pop himself has been frying golden portions of fish and chips for more than 50 years in his vintage, diner-style restaurant.

East End food tours
To discover East London’s hidden gems, it is always best to ask a local. According to Charli Matthews of culinary walking tours Walk Eat Talk Eat, the food scene in East London is dynamic and always changing. “There’s nowhere else quite like it,” she said. “There are so many different types of food, reflecting all of the different immigrant groups that have come to the area throughout the years, from the Huguenots and Dutch weavers to the Jewish, Irish and Bangladeshi.” From the melting pot of Brick Lane in the inner east — a three-stop Tube trip or a 10-minute taxi ride from Olympics transport hub Stratford station — the tours head to lesser-known foodie areas such as Whitechapel, covering everything from Kashmiri teas and Swedish pies to scorchingly hot Bangladeshi curries and the traditional British foods treasured in this part of the city.


Olympic-standard food in East London

Go for the culinary gold in neighbourhoods soon to be swamped with visitors to the Games.

In times past, London’s East End was not known for its culinary excellence, specialising in typical working-class foods such as jellied eels, cockles, and pie and mash. Today, however, this area is in the midst of a food revolution, home to some of the most innovative and downright delicious offerings in the British capital. This is good news for visitors to the Olympic and Paralympic Games, as the main stadium is within close proximity, allowing plenty of opportunities to sample East London’s best modern and traditional fare.

Cafés around the Olympic site
A javelin’s throw from the main Olympic Stadium is the Counter Café, a laid-back coffee den and restaurant located within the Stour Space building, which also houses a contemporary art gallery. The cafe has soft leather couches and large windows, where you can sit and look out at the curves of the outer Olympic Stadium wall. The emphasis is on organic produce, whether it is whisked into a fluffy scramble as part of the all-day brunch or baked into a golden-crusted homemade pie with fillings like lamb and aubergine, or pork, apple and fennel. During the Olympic and Paralympic Games, the Counter Café will be a very popular option, so reservations for breakfast, lunch and dinner will be necessary well ahead of time.

For a good café alternative less than a mile to the north, try the Hackney Pearl , an award-winning restaurant and bar that specialises in weekly-rotating modern British dishes such as plaice with wild garlic butter and roasted Suffolk lamb as well as steaming cups of Square Mile coffee, some of the best beans roasted in London.

Not just another mall meal
The prospect of dining in a large shopping mall does not often inspire great expectations, but London’s second Westfield, which opened recently less than a mile from the Olympic Stadium, has one or two surprising exceptions. The Franco Manca pizza restaurant in the Brixton neighbourhood has often been dubbed “the best pizza in London”, and its Westfield branch continues the tradition, producing perfect, brick-oven, crisp-yet-chewy sourdough pizzas. Toppings are traditional and locally sourced where possible — such as the creamy buffalo mozzarella delivered from a farm in Somerset — and are best washed down with a glass of organic Ottavio Rube Italian wine.

Fresh, fast Mexican street food with a view of the Olympic Stadium is served at Westfield’s Wahaca and they serve delectable tamarind margaritas as well. Fresh, handmade pasta can be enjoyed at Pasta Remoli.

Fine dining
Les Trois Garcons in Shoreditch is a little farther afield — a 15-minute taxi ride — but it is well worth the extra miles. With swaying strings of crystals, stuffed animals wearing tiaras (including a giraffe’s head emerging horizontally from a wall), rich antiques in every corner and vintage handbags hanging from the ceiling, this converted Victorian pub is as notable for its lavish décor as it is for its food. The exceptional modern French cuisine, including dishes such as tea-smoked salmon with sesame and pickled fennel, followed by heavenly lemongrass pannacotta with tarragon ice cream, makes for a special meal away from the Olympic crowds.

For more adventurous modern cuisine influenced by a master of molecular gastronomy, try Viajante, one of London’s most experimental restaurants — a short Tube trip from the nearest Olympic Stadium station of Stratford to Bethnal Green — featuring unusual combinations such as duck heart with apple ribbons, pig’s tail with sweet cornbread, and milk sorbet with pickle and fresh cucumber.

Traditional East London fare
Less than a mile west of the Olympic Stadium, G Kelly’s Noted Eel and Pie Shop is a simple, sleek outfit of white-tiled walls and smartly uniformed staff, where traditional East End dishes have been served since 1939. Freshly baked minced beef pies come with lashings of mashed potato, all drizzled with a secret-recipe parsley sauce. Braver-hearted souls can try the eels, either served piping hot with mash, or cold, set in gobs of clear aspic

jelly and dressed with vinegar and pepper. Sue Venning is the latest in a long family line to run the shop and is well accustomed to convincing the uninitiated to sample a bite. “I ask them, ‘Do you eat sushi?’” Sue said with a bright laugh. “And when they admit that they do, I say, ‘Well then you can eat cold eels – what’s the difference?’”

For another British favourite, head to Poppies of Spitalfields, where Pop himself has been frying golden portions of fish and chips for more than 50 years in his vintage, diner-style restaurant.

East End food tours
To discover East London’s hidden gems, it is always best to ask a local. According to Charli Matthews of culinary walking tours Walk Eat Talk Eat, the food scene in East London is dynamic and always changing. “There’s nowhere else quite like it,” she said. “There are so many different types of food, reflecting all of the different immigrant groups that have come to the area throughout the years, from the Huguenots and Dutch weavers to the Jewish, Irish and Bangladeshi.” From the melting pot of Brick Lane in the inner east — a three-stop Tube trip or a 10-minute taxi ride from Olympics transport hub Stratford station — the tours head to lesser-known foodie areas such as Whitechapel, covering everything from Kashmiri teas and Swedish pies to scorchingly hot Bangladeshi curries and the traditional British foods treasured in this part of the city.


Olympic-standard food in East London

Go for the culinary gold in neighbourhoods soon to be swamped with visitors to the Games.

In times past, London’s East End was not known for its culinary excellence, specialising in typical working-class foods such as jellied eels, cockles, and pie and mash. Today, however, this area is in the midst of a food revolution, home to some of the most innovative and downright delicious offerings in the British capital. This is good news for visitors to the Olympic and Paralympic Games, as the main stadium is within close proximity, allowing plenty of opportunities to sample East London’s best modern and traditional fare.

Cafés around the Olympic site
A javelin’s throw from the main Olympic Stadium is the Counter Café, a laid-back coffee den and restaurant located within the Stour Space building, which also houses a contemporary art gallery. The cafe has soft leather couches and large windows, where you can sit and look out at the curves of the outer Olympic Stadium wall. The emphasis is on organic produce, whether it is whisked into a fluffy scramble as part of the all-day brunch or baked into a golden-crusted homemade pie with fillings like lamb and aubergine, or pork, apple and fennel. During the Olympic and Paralympic Games, the Counter Café will be a very popular option, so reservations for breakfast, lunch and dinner will be necessary well ahead of time.

For a good café alternative less than a mile to the north, try the Hackney Pearl , an award-winning restaurant and bar that specialises in weekly-rotating modern British dishes such as plaice with wild garlic butter and roasted Suffolk lamb as well as steaming cups of Square Mile coffee, some of the best beans roasted in London.

Not just another mall meal
The prospect of dining in a large shopping mall does not often inspire great expectations, but London’s second Westfield, which opened recently less than a mile from the Olympic Stadium, has one or two surprising exceptions. The Franco Manca pizza restaurant in the Brixton neighbourhood has often been dubbed “the best pizza in London”, and its Westfield branch continues the tradition, producing perfect, brick-oven, crisp-yet-chewy sourdough pizzas. Toppings are traditional and locally sourced where possible — such as the creamy buffalo mozzarella delivered from a farm in Somerset — and are best washed down with a glass of organic Ottavio Rube Italian wine.

Fresh, fast Mexican street food with a view of the Olympic Stadium is served at Westfield’s Wahaca and they serve delectable tamarind margaritas as well. Fresh, handmade pasta can be enjoyed at Pasta Remoli.

Fine dining
Les Trois Garcons in Shoreditch is a little farther afield — a 15-minute taxi ride — but it is well worth the extra miles. With swaying strings of crystals, stuffed animals wearing tiaras (including a giraffe’s head emerging horizontally from a wall), rich antiques in every corner and vintage handbags hanging from the ceiling, this converted Victorian pub is as notable for its lavish décor as it is for its food. The exceptional modern French cuisine, including dishes such as tea-smoked salmon with sesame and pickled fennel, followed by heavenly lemongrass pannacotta with tarragon ice cream, makes for a special meal away from the Olympic crowds.

For more adventurous modern cuisine influenced by a master of molecular gastronomy, try Viajante, one of London’s most experimental restaurants — a short Tube trip from the nearest Olympic Stadium station of Stratford to Bethnal Green — featuring unusual combinations such as duck heart with apple ribbons, pig’s tail with sweet cornbread, and milk sorbet with pickle and fresh cucumber.

Traditional East London fare
Less than a mile west of the Olympic Stadium, G Kelly’s Noted Eel and Pie Shop is a simple, sleek outfit of white-tiled walls and smartly uniformed staff, where traditional East End dishes have been served since 1939. Freshly baked minced beef pies come with lashings of mashed potato, all drizzled with a secret-recipe parsley sauce. Braver-hearted souls can try the eels, either served piping hot with mash, or cold, set in gobs of clear aspic

jelly and dressed with vinegar and pepper. Sue Venning is the latest in a long family line to run the shop and is well accustomed to convincing the uninitiated to sample a bite. “I ask them, ‘Do you eat sushi?’” Sue said with a bright laugh. “And when they admit that they do, I say, ‘Well then you can eat cold eels – what’s the difference?’”

For another British favourite, head to Poppies of Spitalfields, where Pop himself has been frying golden portions of fish and chips for more than 50 years in his vintage, diner-style restaurant.

East End food tours
To discover East London’s hidden gems, it is always best to ask a local. According to Charli Matthews of culinary walking tours Walk Eat Talk Eat, the food scene in East London is dynamic and always changing. “There’s nowhere else quite like it,” she said. “There are so many different types of food, reflecting all of the different immigrant groups that have come to the area throughout the years, from the Huguenots and Dutch weavers to the Jewish, Irish and Bangladeshi.” From the melting pot of Brick Lane in the inner east — a three-stop Tube trip or a 10-minute taxi ride from Olympics transport hub Stratford station — the tours head to lesser-known foodie areas such as Whitechapel, covering everything from Kashmiri teas and Swedish pies to scorchingly hot Bangladeshi curries and the traditional British foods treasured in this part of the city.


Assista o vídeo: Queen u0026 Jessie Js London 2012 Performance. Music Monday (Agosto 2022).